domingo, 25 de novembro de 2012



Dançar, ela adora dançar.
Decidimos algo novo para hoje, uma festa em casa, chamamos só os amigos mais íntimos, mas sempre acaba vindo mais gente. Não estava lá grandes coisas, jogos, bebida, algumas pessoas “se pegando”. Até que ela subiu na mesa e começou a dançar, quase todos parou para assistir, o jeito que ela dança encanta qualquer um, e principalmente eu.  Ela se cansa, desce, bebemos, conversamos e nos entrosamos em outros grupos presentes.
Ela já não estava mais do meu lado, estava com outra pessoa lá fora, a bebida lhe deixou tão solta, que não consegui entender o que estava acontecendo. Discutimos depois dessa, o ciúmes a desconfiança me subiam a cabeça. Já não sabia mais o que fazer ou dizer.
dormimos em cantos diferentes ao fim da festa.
O problema é que eu a amava, e ela me amava, pelo menos acredito eu.  Os olhares, os gestos dominavam o clima na casa. Não conseguimos ficar muito tempo sem nos falar, bastou um pequeno corte de maçã pra virar assunto, e desse assunto voltássemos a ficar juntas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário